Blog
25 ABR 2018
Adjane

Não foi fácil ter meus dois filhos. Antes de o Gabriel chegar para nós, tive dois abortos espontâneos, fiz tratamento por um ano e mesmo assim não conseguia engravidar. Já estava na fila da adoção quando engravidei naturalmente, aos trinta e cinco anos. Era uma menina. Com trinta e quatro semanas de gestação, o cordão umbilical enrolou na perninha do bebê, tive que fazer uma cesárea, mas ele já estava morto. Foi um momento difícil demais.

Um ano depois - eu já estava conformada que não teria filhos, recebo uma ligação dizendo que nosso filho havia nascido. Eu e minha irmã fomos ao hospital para vê-lo. Foi emocionante! Era muito parecido com o bebê que eu havia perdido!

Quando Gabriel tinha dois anos, fui diagnosticada com Amiloidose, uma doença rara que vai atingindo todos os órgãos e fazendo com que eles parem de funcionar. Mesmo com o problema de saúde, decidimos adotar mais uma criança, queríamos que o Gabriel tivesse irmãos.

Ele estava prestes a completar seis anos e fomos novamente chamados para a adoção. Isabela estava com nove meses de idade e havia passado cinco deles no orfanato.

Eles estão com quinze e dez anos e são a minha força.  Os problemas de saúde se agravaram muito, mais do que eu imaginava, e é por amor a eles que não me entrego à doença.